Skip to content
novembro 26, 2009 - 1:51 PM / Rafael G.

Cérebro responde mais rapidamente à dor física que à dor mental

Damásio enviou texto para ser apresentado
nas V Conferências de Filosofia e Epistemologia.

António Damásio afirma que as respostas do cérebro à dor física surgem e desaparecem mais rapidamente do que as respostas à dor mental. No texto sobre “Emoções e sentimentos”, que foi ontem apresentado e sintetizado por Edmund T. Rolls, à margem das V Conferências Internacionais de Filosofia e Epistemologia do Instituto Piaget, em Viseu, o neurocientista português explica que, por exemplo, “a compaixão pela dor física evoca respostas mais rápidas na região do córtex insular [do cérebro] do que a compaixão pela dor mental”.

Esta foi uma das hipóteses que viu confirmada num estudo que desenvolveu com Hanna Damásio e Mary Helen Immordino-Yang, no qual diz terem tido um “vislumbre” do que se passa no cérebro quando uma pessoa sente admiração e a compaixão.


O professor da Universidade do Sul da Califórnia considera que a admiração e a compaixão são duas das mais notáveis
“emoções sociais”, um grupo de emoções onde inclui também o embaraço, a vergonha, a culpa, o desprezo, o ciúme e o orgulho.

“Estas emoções são realmente provocadas em situações sociais e certamente desempenham papéis fundamentais na vida dos grupos sociais”, refere, dizendo ser importante, neste âmbito, perceber se admiração e compaixão são diferentes e as regiões do cérebro com elas relacionadas.

Outra das conclusões a que chegaram, e que não previam, é que “a região do postero-medial córtex (PMC), que estava mais activa em situações de admiração por perícias e compaixão por dor física, era perfeitamente distinta da parte do PMC mais relacionada com a admiração por actos virtuosos e a compaixão por dor mental”.

António Damásio, para quem a emoção é “um programa de acções”, foi um dos autores estudados durante três dias nas V Conferências Internacionais de Filosofia e Epistemologia do Instituto Piaget, a par do ensaísta George Steiner, que se deslocou a Viseu, do filósofo Espinosa e do escritor Miguel Torga.

Fonte: Ciencia Hoje.

2 Comentários

Deixe um comentário
  1. Mayara / nov 26 2009 8:06 PM

    Boom ; assim como vooc disse que responde as dores emocionais do que as fisícas . de un lado concordo e de outro não ;
    \Poiis as dores emocionaiis não deixam de ser un tipo de door fisica ; só que sentida de modo diferente em orgãaos diferente ; tais como un amoor perdido sente a door do msmo modoo que se sente uma door no corpo ;

    • Rafa / nov 26 2009 9:46 PM

      Sim, tem razão mas de fato o tempo de resposta de um ao outro tipo de dor é totalmente diferente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: